Publicado há 1 mês

Atenção plena na alimentação: conheça o mindful eating

COMPARTILHE

Antes de explicar o conceito de mindful eating, é importante esclarecer o que é mindfulness, prática da qual o termo é derivado. Mindfulness pode ser traduzido como atenção plena e significa estar totalmente concentrado no momento presente. Mindful eating, então, está relacionado à atenção plena na alimentação.

Vale ressaltar que o mindful eating não se refere somente ao ato de comer em si, mas envolve muitas outras questões relacionadas com a alimentação, entre elas o julgamento sobre a comida, as emoções que os alimentos despertam e o ambiente em que nos alimentamos.

Ao longo da vida, e por conta da rotina corrida que levamos, é comum que nos afastemos da alimentação como uma experiência. À medida que crescemos, a tendência é comer enquanto executamos outras tarefas, sem prestar atenção ao alimento, além de julgar o que consumimos, com uma grande dose de culpa.

O mindful eating surge então como um convite para uma melhor relação com a comida, para que possamos nos alimentar em um ambiente agradável, sem correria e podendo aproveitar cada sensação de uma refeição, desde o visual de um prato até a textura dos alimentos.

A prática pode ser excelente para quem está em busca de mudar seu comportamento alimentar. Entre os benefícios que ela proporciona estão a melhora da percepção de fome e saciedade, reconexão com os sentidos e identificação de sentimentos negativos sobre a comida. Embora não seja o foco principal, o mindful eating também pode auxiliar no emagrecimento.

Os princípios do mindful eating

No dia a dia, é bem provável que você já tenha passado por alguma dessas situações: comer rápido porque o tempo está escasso, se alimentar olhando o celular ou em frente ao computador, devorar uma guloseima e se assustar quando ela termina repentinamente. 

Comportamentos como estes podem alterar as sensações de fome e saciedade e para recuperá-las é possível apostar no mindful eating.

De modo geral, o mindful eating conta com 4 princípios básicos: observar, saborear, estar presente e não julgar.

Observar

Antes de se alimentar, é importante observar se você está realmente com fome ou possui apenas uma sensação de fome, que pode ser provocada por ansiedade, tristeza e estresse, por exemplo. É importante estar ciente de quais situações ou sentimentos levam você a comer. Mas se estiver mesmo com fome, coma até se sentir satisfeito.

Saborear

Na hora de comer, coloque todos os seus sentidos à prova. Olhe para o prato e observe as cores e as formas dos alimentos e se aquela comida parece saborosa. Em seguida, feche os olhos e preste atenção ao cheiro da refeição. Depois, ao levar os alimentos à boca, vá sentindo com calma o sabor, a textura e a temperatura de cada ingrediente.

Estar presente

Embora seja muito comum – e até divertido – comer enquanto assiste à TV ou mexe no celular, não é uma prática benéfica, pois ao nos distrairmos durante a refeição, temos a tendência de esquecer rapidamente o que comemos, se a refeição está boa e até a quantidade que ingerimos, o que pode nos levar a comer em excesso.

Não julgar

Durante as refeições, permita-se degustar cada pedaço ou mordida do alimento sem deixar a culpa ou os padrões da sociedade falarem mais alto. Caso exagere em alguma refeição, evite punir a si mesmo com dietas malucas, longos períodos de jejum ou exercícios intensos. Pense no dia seguinte como uma oportunidade para retomar os hábitos saudáveis.

Padrão alimentar do mindful eating

Tornar o mindful eating uma prática regular em sua vida costuma levar algum tempo. Em alguns casos, contar com o auxílio de um terapeuta alimentar especializado pode tornar o processo mais fácil. De qualquer maneira, existem algumas atitudes que ajudam a introduzir o mindful eating em nosso dia a dia:

– Observe os sinais de fome e saciedade: se estiver mesmo com fome, coma, e termine de comer quando sentir que está satisfeito;

– Tenha horários fixos para se alimentar: isso ajuda a manter a atenção plena na alimentação e a lidar com os imprevistos;

– Coma mais devagar: reserve pelo menos 20 minutos para se alimentar com calma

– Mastigue os alimentos por mais tempo: a cada mordida, repouse o garfo no prato e respire tranquilamente ao longo da refeição;

– Coloque porções menores no prato: assim fica mais fácil perceber quando você atingir a saciedade;

– Torne o ambiente das refeições mais agradável: arrume a mesa e coloque uma música relaxante para tocar;

– Desperte a curiosidade: prove os alimentos como se fosse a primeira vez e experimente recriar em sua mente todo o caminho que aquele ingrediente percorreu até chegar à sua mesa;

– Ao fim da refeição, agradeça a quem plantou, transportou e preparou. Tenha gratidão pela oportunidade em poder desfrutar daqueles alimentos.

Corpo x comida: como estabelecer uma relação saudável?

Ajudar a estabelecer uma relação saudável com a comida é um dos vários benefícios que o mindful eating propõe. 

Entre os seres humanos, a alimentação não funciona apenas como sobrevivência, mas também como uma forma de socialização. 

Ao mesmo tempo, vivemos em uma sociedade em que o corpo magro é visto como padrão de beleza, o que pode acabar despertando nas pessoas um sentimento de culpa com a comida, que é capaz de levar a transtornos como compulsão alimentar, medo de engordar, anorexia ou bulimia.

O segredo para estabelecer uma relação saudável com a comida está em compreender que o equilíbrio e a variedade são as bases de uma alimentação saudável. Ao invés de olhar os alimentos como calorias, vilões ou mocinhos, devemos encará-los pelo que são de fato: comida.

O ideal, então, é comer de forma intuitiva, respeitando os sinais que o corpo dá. Desta forma, garantimos mais qualidade de vida para o nosso dia a dia, uma vez que a alimentação também é uma forma de autocuidado.