Publicado há 5 meses

Alimentos hidropônicos e orgânicos: qual o melhor? 

COMPARTILHE

Na compra dos alimentos naturais, certamente você já se deparou com a classificação de alimentos hidropônicos e orgânicos. São verduras, frutas e legumes que trazem essas classificações. Mas afinal, qual é a diferença entre eles? Qual dessas opções é a melhor para a saúde e conservam melhor os nutrientes?

O conceito de alimentos orgânicos já é bastante difundido e apesar das particularidades do conceito, é bem provável que você já tenha ouvido falar desse método. Por meio dele, hortaliças, frutas, ovos, carnes, café e até vinho são produzidos sem o uso de agrotóxicos e com a ajuda de técnicas naturais que protegem a saúde de quem planta e de quem consome.

Os alimentos hidropônicos, por outro lado, apesar de serem menos conhecidos são encontrados com muita facilidade – a técnica de cultivo existe no Brasil há pelo menos 20 anos.

Como o próprio nome sugere, este método consiste no uso da água para cultivar os alimentos. Em vez de serem plantados na terra, as raízes de frutas, legumes e verduras ficam imersas em uma solução de água com adubos químicos.

Seja qual for o alimento escolhido, orgânico ou hidropônico, é obrigatório que essa definição esteja na embalagem, de acordo com a legislação brasileira em vigor desde 2011.

Quais as diferenças entre alimentos hidropônicos e orgânicos?

A hidroponia e o manejo orgânico são duas técnicas bastante populares e a principal diferença entre elas está na forma de cultivo.

Os alimentos orgânicos são conhecidos principalmente por serem cultivados sem o uso de agrotóxicos, adubos químicos ou qualquer outra substância que ofereça riscos à saúde humana ou ao meio ambiente, e carregam maior quantidade de vitaminas e minerais. O cultivo orgânico promove um uso equilibrado do solo e dos recursos naturais.

Para proteger o cultivo, são usados métodos alternativos de adubação e controle de pragas, tais como esterco, vegetação seca e óleos vegetais. Além disso, as plantas recebem somente fertilizantes naturais. Com o tempo, os alimentos cultivados se tornam mais resistentes às pragas e doenças.

Embora as frutas, verduras e legumes sejam os alimentos orgânicos mais conhecidos, também é possível produzir ovos, leite, vinho e carnes de forma orgânica. No caso dos produtos de origem animal, elimina-se o uso de hormônios e antibióticos.

Os alimentos hidropônicos, por sua vez, são produzidos sem o contato direto com a terra. As plantas ficam em suportes artificiais com água e adubos químicos solúveis, que garantem os nutrientes necessários e impedem que os alimentos sejam atacados por pragas.

A higiene costuma ser um dos principais motivos para a escolha de produtos hidropônicos. Além de não terem contato com microrganismos presentes na terra, os alimentos cultivados de forma hidropônica são embalados imediatamente após a colheita, diminuindo as chances de contaminação durante o manuseio e a exposição.

Ao contrário dos produtos orgânicos, que incluem uma vasta gama de alimentos, o cultivo hidropônico engloba exclusivamente frutas, legumes, vegetais e verduras.

Entre aqueles que melhor se desenvolvem a partir deste método de cultivo estão hortaliças como alface, rúcula e agrião, vegetais subterrâneos como batata, beterraba, cenoura e rabanete e frutas como melancia, melão e tomate.

As propriedades dos alimentos hidropônicos e orgânicos

Um estudo realizado pela Universidade de Newcastle, no Reino Unido, apontou que os alimentos orgânicos possuem 40% mais propriedades antioxidantes em relação a produtos não orgânicos. 

Isso se deve ao potencial dos alimentos orgânicos de carregarem mais defesas naturais, como o licopeno, presente no tomate, e o caroteno, encontrado na cenoura. Essas substâncias protegem o nosso organismo, evitando o envelhecimento precoce, prevenindo alguns tipos de câncer, combatendo infecções e reduzindo o risco de infartos.

Além de mais poderosos do ponto de vista nutricional, os alimentos orgânicos se desenvolvem da forma mais natural possível, preservando o sabor e a coloração de origem. 

Já os alimentos hidropônicos, por serem cultivados dentro de estufas, estão protegidos de eventos naturais como secas, insolação, chuvas e ventos fortes. Com isso, podem chegar mais bonitos ao consumidor final. Outra vantagem oferecida pelas estufas hidropônicas é a possibilidade de cultivar alimentos fora de época.

Ao contrário do que possa parecer, a hidroponia também garante uma economia de água em até 70%. Como as plantas são cultivadas em uma solução líquida, elas não precisam ser irrigadas constantemente. 

Afinal, qual é o melhor para a saúde?

Cada um à sua maneira, alimentos orgânicos e hidropônicos trazem benefícios para a saúde e o meio ambiente. Mas afinal, qual deles é a melhor escolha para uma vida saudável?

Embora os alimentos hidropônicos possam ter um aspecto mais bonito, por não entrarem em contato com a terra, nem estarem expostos a intempéries como ventos e chuvas, eles podem receber substâncias como adubos e fertilizantes químicos durante o cultivo.

Por outro lado, os alimentos orgânicos, não utilizam agrotóxicos, hormônios, substâncias químicas, antibióticos ou transgênicos em qualquer fase da produção. É possível consumi-los integralmente, incluindo casca, folhas, polpa e sementes.

No entanto, mesmo que os alimentos orgânicos não estejam expostos a agrotóxicos, isso não elimina a necessidade de higienizá-los antes do consumo, ao contrário. É importante deixar os alimentos imersos em água com hipoclorito de sódio (se não tiver acesso a esse produto, use 1 colher de água sanitária para cada litro de água) e depois enxaguá-los bem.